Nº 1295 ano 2018
Data:

Geral Dia dos Pais


61% dos consumidores vão comprar presentes para a data

Em comparação a outras datas como Natal, Dia das Mães e Dia dos Namorados, as vendas do Dia dos Pais não são tão expressivas, como explica o presidente da CDL Palmas, Silvan Portilho.

Por: Divulgação
Publicada em: 03/08/2018 15h02min
Atualizada em: 13/08/2018 15h03min
Foto: Divulgação
De acordo com o presidente, este é um bom momento para o início do faturamento do segundo semestre

Uma pesquisa repassada à CDL Palmas pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que, embora o cenário econômico do país não esteja em alta, mais da metade (61%) dos consumidores devem comprar presentes para o Dia dos Pais, o que deve injetar  R$ 13,9 bilhões nos setores do comércio e serviços.

Em comparação a outras datas como Natal, Dia das Mães e Dia dos Namorados, as vendas do Dia dos Pais não são tão expressivas, como explica o presidente da CDL Palmas, Silvan Portilho. “Nós sabemos que o Dia dos Pais não está entre as melhores datas comemorativas para o comércio. No entanto, não podemos negar que a comemoração aquece o comércio e aumenta as vendas”, disse. Ainda de acordo com o presidente, este é um bom momento para o início do faturamento do segundo semestre e serve como impulsionamento para a melhora da economia.

De acordo com a pesquisa, o valor médio gasto com o presente do Dia dos Pais será R$ 149,27. Os consumidores estão mais cautelosos na hora de desembolsar: 40% pretende gastar o mesmo valor do ano passado; 32% acreditam que vão pagar mais e 16% querem pagar menos nos presentes. Dos que pretendem gastar menos, 34%  afirmam passar por uma situação de aperto financeiro e 24% pretendem economizar com os presentes. Já 16% devem priorizar o pagamento de dívidas em atraso. Entre os que pretendem gastar mais em 2018, 54% disseram que irão comparar um presente melhor, enquanto 24% acreditam que os produtos estão mais caros.

Os produtos mais procurados devem ser as roupas (50%). Em seguida aparecem os perfumes e cosméticos (32%), calçados (28%) e acessórios (27%), como cintos, carteiras, relógios e meias. Haverá ainda procura por ferramentas (10%), artigos esportivos (10%) e smartphones (10%). Com relação à forma de pagamento, a maioria dos entrevistados mostra preferência pelo pagamento à vista, seja em dinheiro (53%) ou cartão de débito (22%). O pagamento via cartão de crédito, seja em parcela única ou mais de uma parcela, será escolha de 16% e 25% dos consumidores, respectivamente.

O levantamento, oito em cada dez (80%) compradores admitem que vão buscar melhores ofertas antes de concretizar a compra do Dia dos Pais. Um outro dado interessante é de que 22% dos compradores admitem ter o costume de extrapolar o orçamento na hora de agradar ao pais e 30% dos que irão às compras neste ano possuem contas em atraso. Das pessoas que fizeram compras em 2017, 22% tiveram o CPF inscritos em cadastros de devedores em decorrência de aquisições feitas na ocasião.

“Nós sabemos que o país enfrenta um momento difícil. A recuperação da economia não vai acontecer de uma hora para outra. Mas acreditamos no potencial do nosso comércio. Os consumidores precisam ter cautela, é preciso manter os pés no chão e não gastar mais do que pode. É preciso se planejar e priorizar o pagamento de dívidas ”, finalizou o presidente Silvan Portilho.

Comentários

Deixe um comentário

Palmas - Tocantins