Clique aqui e leia a versão digital
Nº 1255 ano 2017
Data:

Principal Assalto ao Banco do Brasil


Ação de bandidos pode ter sido em retaliação a prisão de líder de quadrilha

Neudo Pipoca, um dos líderes da Quadrilha da Pipoca (CE), foi preso pela Polícia Rodoviária Federal algumas horas ontem da ação dos bandidos em Gurupi. Segundo informações apuradas pelo jornal Primeira Página, o grupo que assaltou o Banco do Brasil em Gurupi tem ligações com a facção do crime organizado, Primeiro Comando da Capital, o PCC.

Por: Rafael Miranda
12/06/2017 16h:52min Atualizada em 21/06/2017 20h:13min
Foto: PRF
Neudo Pipoca foi capturado após blitz de fiscalização da PRF no mesmo dia do grande assalto em Gurupi, onde foi averiguado pelos agentes que havia um mandato de busca do Ceará em desfavor de seu nome pelo crime de homicídio

Informações circulam de que a ação dos bandidos ocorrida nesse domingo em Gurupi foi em retaliação a prisão de Elineudo Oliveira Silva, o Neudo Pipoca, conhecido assaltante de bancos e carros-fortes, preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Gurupi na tarde do mesmo domingo. Neudo seria um dos líderes da Quadrilha dos Pipoca, oriundos de Nova Quixadá (CE), de alta periculosidade.

Neudo Pipoca foi capturado após blitz de fiscalização da PRF, onde foi averiguado pelos agentes que havia um mandato de busca do Ceará em desfavor de seu nome pelo crime de homicídio. “Durante conversa com o detido e após novas consultas, a equipe da PRF descobriu que o homem então capturado tratava-se de um conhecido membro de quadrilha especializada em assaltos de bancos e carros-fortes, a “Quadrilha dos Pipoca”, informou a PRF.

Esse fato poderia explica um dos motivos que levaram o grupo a fazer a ação criminosa ainda por volta das 22 horas de domingo, horário pouco comum em assaltos desse tipo. Além disso, a grande quantidade de explosivos apreendida pela polícia, e que não chegou a ser utilizado pela quadrilha, também poderia ter como destino a Casa de Prisão Provisória de Gurupi, onde está preso Neudo Pipoca.

Segundo informações apuradas pelo jornal Primeira Página, o grupo que assaltou o Banco do Brasil em Gurupi tem ligações com a facção do crime organizado, Primeiro Comando da Capital, o PCC.

Novo Cangaço
A ação está sendo classificada como o Novo Cangaço, que vem aterrorizando cidades do interior nos últimos dois anos. A modalidade consiste em ações de muita violência, com alto poder de fogo. Bandidos chegam em pequenas cidades, roubam caixas eletrônicos, fazendo uso de reféns impedindo o avanço policial.

Comentários

Deixe um comentário

Palmas - Tocantins