Nº 1286 ano 2018
Data:

Geral Na capital


Crianças são orientadas sobre abuso sexual

Os bonequinhos explicaram quais partes do corpo não podem ser tocadas por estranhos e que mesmo seus pais só devem as tocar em situações de auxílio no banho ou higienização e que não é preciso ter medo de contar sobre situações estranhas para adultos em que as crianças têm confiança.

Por: Divulgação
Atualizada em: 05/06/2018 14h49min
Foto: Divulgação
De forma lúdica, eles explicaram com palavras do universo infantil o que é normal e o que não é normal no comportamento de adultos em relação ao corpo das crianças

Algumas ferramentas pedagógicas são de grande utilidade quando necessário abordar determinados assuntos com crianças muito pequenas. Por isso, os fantoches são recursos usados pelo Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas) de Palmas para orientar crianças sobre o assunto.

Para ter mais sucesso nesta tarefa, os bonequinhos Chico, Juju e Bibi ajudaram, na manhã desta terça-feira, 05, a explicar aos alunos da Escola Municipal Estevão de Castro, no Jardim Aureny III, o que é violação sexual. De forma lúdica, eles explicaram com palavras do universo infantil o que é normal e o que não é normal no comportamento de adultos em relação ao corpo das crianças. Os bonequinhos explicaram quais partes do corpo não podem ser tocadas por estranhos e que mesmo seus pais só devem as tocar em situações de auxílio no banho ou higienização e que não é preciso ter medo de contar sobre situações estranhas para adultos em que as crianças têm confiança.  

Todas essas explicações foram traduzidas para garantir que o alerta de que o abuso e as ameaças dos agressores pedindo silêncio das vítimas não podem ser escondidos. “Nestes eventos nas escolas conseguimos alcançar alguns casos, porque as crianças começam a perceber que algo que acontece com ela é um abuso. Essa identificação acontece com ajuda de alguns recursos já que o abuso sexual é um tema pesado e a linguagem dos bonecos se aproxima mais da realidade delas. A depender da idade das crianças, também trabalhamos com palestras educativas preventivas”, esclareceu a coordenadora do Creas, Núbia Cristiane Zago da Silva.

 

Na sala de aula 

Encerrada a apresentação teatral com bonecos, o trabalho pedagógico sobre o tema não se encerra. De volta à rotina de aulas, conforme explica a diretora da escola, Jaqueline Saraiva, o assunto não é esquecido. “É um assunto que exige ser conversado na escola. Recentemente tivemos um relato de uma menina para uma coleguinha que acabou contando o caso, que já foi encaminhado ao Conselho Tutelar. Isso só nos chamou a atenção para continuarmos trabalhando o assunto de forma segura, alertando os alunos de que ameaças de um adulto pedindo segredo não podem ser consideradas”, esclareceu a diretora da escola.

 

Faça Bonito

 

Todo esse trabalho também vem realizado em outras unidades escolares da Capital, assim como alertado a adultos em panfletagens realizadas em feiras e outros espaços públicos de Palmas desde o mês de maio durante a campanha “Faça Bonito” sobre combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes. A campanha, segundo a coordenadora do Creas, conseguiu encaminhar, até o momento, uma aluna da rede municipal, que após participação de uma atividade educativa realizada pelo Creas, sinalizou um possível contexto de abuso e que já foi devidamente encaminhado para o Conselho Tutelar. Ainda de acordo com a coordenadora Núbia, no ano anterior, a campanha conseguiu identificar quatro crianças sob contexto de abuso sexual graças a essas atividades educativas.

 

Creas

Qualquer instituição interessada em parceria para trabalhar o tema pode procurar diretamente o Creas para solicitar apoio para trabalhar o tema. O Creas é um centro especializado no atendimento de famílias com vítimas de violações de direito e realiza esse trabalho educativo durante todo o ano. Atualmente 98 famílias estão sendo assistidas, com apoio de outras instituições de redes de proteção, em razão de alguma situação negligenciada envolvendo crianças e adolescentes, idosos ou pessoas com deficiência.

 

Denuncie

Denúncias sobre abusos sexuais de crianças e adolescentes podem ser feitas, sob total sigilo, pelo Disque 100, cuja ligação é gratuita. Quem deseja dúvidas pode entrar em contato com o Creas pelo telefone (63) 3218-5456 ou se dirigir ao serviço na Quadra Arse 32 Alameda 12 APM 03.

Comentários

Deixe um comentário

Palmas - Tocantins