Clique aqui e leia a versão digital
Nº 1254 ano 2017
Data:

Principal Queixa


Moradores do setor Taquari denunciam remoções irregulares

Líder do movimento de moradores da Quadra T-30 disse que fiscais da Prefeitura teriam derrubado casas sem notificação judicial.

Por: Redação
14/07/2017 12h:13min Atualizada em 14/07/2017 13h:00min
Foto: Divulgação
Conforme os moradores, duas casas foram derrubadas na manhã desta quinta-feira, 14, na T-30, bem como, teriam recebido ameaças de que as demais casas também seriam derrubadas em breve.

“Eles chegam derrubando as casas, não apresentam notificação, não nos informam previamente, não se identificam com crachás e ainda são grosseiros com os moradores.” A denúncia é da líder do movimento de moradores da quadra T-30, no Jardim Taquari, em Palmas. Nesta quinta-feira, 13, a equipe do Núcleo Aplicado das Minorias e Ações Coletivas (NUAmac Palmas) da Defensoria Pública do Estado, sob a coordenação da defensora pública Letícia Amorim, esteve no local, onde fiscais da Prefeitura de Palmas supostamente teriam derrubado casas sem apresentação de notificação judicial, gerando prejuízos aos moradores da áreas e embates desnecessários.

Conforme os moradores, duas casas foram derrubadas na manhã desta quinta-feira, 14, na T-30, bem como, teriam recebido ameaças de que as demais casas também seriam derrubadas em breve. “Eles chegaram anunciando que iriam derrubar tudo, avisamos que tinham famílias morando no local, perguntamos pela notificação, mas nos ignoraram e passaram com as máquinas. Quando receberam a informação de que a Defensoria estava vindo, eles foram embora”, disse Eliane. No encontro estava ainda um grupo de cerca de dez pessoas, que informaram que as ameaças e derrubadas são frequentes no local, sendo que a última aconteceu há três semanas.

Defensoria

Diante disso, a DPE-TO, por intermédio do NUAmac Palmas, irá oficiar a Secretaria de Desenvolvimento Urbano, Regularização Fundiária e Serviços Regionais a fim de obter informações sobre o ocorrido, assim como oportunizar para que a Pasta apresente as informações necessárias.

De acordo com a defensora Letícia Amorim, nas hipóteses de remoções administrativas a ser realizadas, devem ser observadas as diretrizes de atuação embasadas nas normativas que regulamentam a matéria, de modo a preservar os direitos fundamentais dos munícipes residentes nas áreas. “Não pode haver remoção e nem mesmo a derrubada de casas sem uma notificação judicial e sem informar a Defensoria, isso é contra a garantia dos direitos humanos”, explicou a Defensora. Segundo ela, a demolição das casas em hipótese alguma pode ser realizada forçadamente, sem ordem judicial e processo administrativo que assegure o contraditório e a ampla defesa.

Atuação

A quadra T-30 está localizada no Setor Taquari. Aproximadamente 85 famílias habitam no local há cerca de quatro anos em situação de vulnerabilidade social. Desde 2013, a DPE-TO acompanha a situação dos moradores da quadra.

O direito à moradia digna é reconhecido pela Declaração Universal dos Direitos Humanos e também estabelecido no rol de direitos fundamentais sociais da Constituição Federal Brasileira. Atualmente, a DPE-TO, seja pelos Núcleos Especializados ou pelos Defensores Públicos, atende, na capital, famílias que estão vivendo de forma improvisada em diferentes setores da Capital.

A atuação vai desde o levantamento social – no qual são colhidas informações sobre a situação familiar -, orientação jurídica e promoção de atendimentos coletivos com objetivo de que as políticas públicas cheguem a todos.

 

Fotos: Divulgação

Comentários

Deixe um comentário

Palmas - Tocantins