Clique aqui e leia a versão digital
Nº 1254 ano 2017
Data:

Geral Povoado dos Pilões


Pinturas rupestres em Miracema: um tesouro ainda pouco explorado

Escondidas no alto da Serra do Bandeira, no povoado de Pilões (zona rural de Miracema) estão localizadas diversas pinturas rupestres desenhadas em grandes paredões de pedra. No ultimo sábado, 08, a primeira expedição técnica partiu para conhecer de perto esse mistério. O jornal Primeira Página foi convidado a participar e traz com exclusividade os detalhes de um tesouro pouco explorado no Tocantins.

Por: Redação/Rafael Miranda
14/07/2017 21h:41min Atualizada em 19/07/2017 10h:19min
Foto: Rafael Miranda
Pinturas rupestres em Miracema apresentam características distintas de outros sítios arqueológicos do Tocantins.

Escondidas no alto da Serra do Bandeira, no povoado de Pilões (zona rural de Miracema) estão localizadas diversas pinturas rupestres desenhadas em grandes paredões de pedra. No ultimo sábado, 08, a primeira expedição técnica, formada por 11 pessoas, partiu para conhecer de perto esse mistério, e o jornal Primeira Página traz com exclusividade os detalhes desse tesouro pouco explorado no Tocantins.  

A Serra do Bandeira fica no pequeno povoado de Pilões, formado por 16 famílias de chacareiros espalhadas pela zona rural de Miracema. O povoado, que até então é ligado à agropecuária de subsistência, tenta aos poucos desenvolver o ecoturismo na região como forma de renda extra para a comunidade.

Ao todo, são quatro horas de trilha para ir e voltar nas pinturas. O percurso não é fácil e devido à inclinação do terreno, parte do trajeto e feito com o auxilio de cordas para subir e descer. Mas tudo vale a pena, a paisagem é deslumbrante, e apresenta uma perspectiva ampla do Rio Tocantins e das serras que rodeiam a região. 

Pinturas
São diversos animais representados, alguns são de fácil identificação, como peixes, tartarugas, lagartos, tatus e porcos. Já outros, pela sobreposição de algumas figuras, ficam difíceis de decifrar. O jornal Primeira Página mostrou algumas das fotos registradas para a arqueóloga Ariana Braga, que trabalha na capital.

Ariana contou que pela observação inicial das fotografias, dá para ver que o sítio arqueológico é interessante por apresentar características únicas no estado. “O estilo das pinturas, com imagens grandes, e com diferentes cores sendo utilizadas, mostram um estilo novo até então não conhecido em outros sítios catalogados no Tocantins”.

Quando a sobreposição das painturas, Ariana contou que é algo normal, e que indica que diferentes poavos e indivíduos passaram por ali, em épocas que podem variar de um longo período ou até mesmo curto período tempo.

As imagens, que são em torno de 20 a 30, estão espalhadas por cerca de oito metros ao longo de um enorme paredão de pedra. O professor de geografia João Paulo Carneiro, que trabalha na escola rural que atende a região, contou um pouco sobre os aspectos físicos da Serra do Bandeira. 

Segundo o professor, “a Serra é uma das mais elevadas e altas da região. No topo observa-se a presença de rochas metamórficas que são os mais recentes vestígios arqueológicos. E também há muitos sedimentos, fragmentos de rochas ao longo do caminho e que continuam preservadas, o que demonstra que o local não passou por sérias mudanças.”

“As camadas das rochas, especialmente onde estão as pinturas rupestres, também são facilmente visíveis e bem divididas, pois cada uma foi formada em um período diferente. O intemperismo químico das rochas, ou seja, o processo de desmanche, também atua muito nessa região, com a ação do vento e das chuvas, e o intemperismo biológico, com o nascimento das plantas entre as rochas”, destacou João Paulo.

Atrativos naturais como fonte de renda para as famílias de chacareiros

E tendo como principal atrativo as pinturas rupestres, a comunidade se organizou no ultimo final de semana para iniciar os primeiros passos na construção do projeto de ecoturismo voltada para os atrativos no entorno da comunidade. Na ocasião, a equipe formada contou com geógrafos, técnicos do Ruraltins, a imprensa e moradores da região.

As famílias idealizadoras são representadas pelos senhores Cristóvão Feitosa, Manoel Rodrigues (seu Ginco) e José Gonçalves, tendo outros membros colaboradores. O objetivo é atrair turistas e agregar valor aos produtos e serviços locais, gerando renda e proporcionando qualidade de vida para as famílias da comunidade, além de proporcionar momentos de lazer aos visitantes e admiradores da natureza. 

É o que conta o produtor Cristovão Feitosa, 57 anos. “Desde o primeiro momento, me encantei com a beleza dessa região. Comecei então a visualizar que o lago, juntamente com as belezas do cerrado, poderiam ser utilizadas para o lazer, para a visitação turística. Logo, a ideia de criar um projeto assim, que trouxesse qualidade de vida, passou a ser para mim a maneira certa de usar isso a favor da população de Pilões”.
Ideias

No encontro foram debatidas entre os colaboradores ideias para explorar a potencialidade da comunidade Pilões, com estratégias de desenvolvimento sustentável para o ecoturismo, além de observar as questões geológicas, a fauna e flora, as maneiras de acesso aos pontos turísticos, locais de acampamento e registro fotográfico.

No entorno de Pilões existem vários outros potencias turísticos, como as praias do Rio Tocantins, ótimas para o banho, a pesca e outros esportes aquáticos. Há também uma cachoeira, mirantes naturais, passeio a cavalo, trilhas por meio do cerrado, além de poder desfrutar da culinária típica feita no fogão à lenha. Tudo com muito amor e capricho.

O senhor Manuel Rodrigues, o seu Ginco, é um dos idealizadores do projeto, e contou seu expectativa para a região. “Eu e meu amigo Cristóvão já tínhamos tentado há cinco anos formar um projeto de turismo, mas agora retornamos com novas ideias. Eu gosto muito de receber as pessoas aqui na minha terra. Quando cheguei na região, não tinha nada, só o povo morando. Eu vi esse lugar crescer, e sempre busquei trabalhar para a comunidade.”

O Naturatins foi o único órgão governamental que participou diretamente da expedição. Carina Monte, formada em economia doméstica e Gyllhemberg Santiago, geógrafo, já realizam um trabalho de agroecologia no povoado Pilões. “É grande satisfação fazer parte do incentivo e apoio desse projeto, que venho acompanhando e assim perceber que como instituição de extensão rural, podemos contribuir com ideias e estratégias, na tentativa de fortalecer o trabalho associado nas comunidades Ilha da Ema e Pilões”, ressaltou a Carina.

Parcerias
Em entrevista com os idealizadores do projeto, foi destacado a necessidade de um apoio institucional, com cursos de capacitação para auxiliar a comunidade no projeto de ecoturismo. A prefeitura de Miracema foi indicada como possível parceira e o jornal Primeira Página buscou uma resposta.

E o secretário de Turismo de Miracema , Genes Francelino, respondeu. "Logo após o Miracaxi, em agosto, a Prefeitura de Miracema irá desenvolver um levantamento dos pontos turísticos existentes e em potencial para que possamos buscar recursos para apoiá-los, buscar parcerias e capacitações. Queremos também, com isso, divulgar mais esses pontos, para que mais pessoas venham visitar, pois temos muito para oferecer no âmbito do Turismo e vamos ampliar, como na região da Ema, no povoado dos Pilões, que já estamos em contato com a população local para conhecer as trilhas e pinturas rupestres e dar mais visibilidade a toda essa beleza e história."

Já o Sebrae, instituição que promove diversos cursos de formação e capacitação, também indicado pelos moradores de Pilões, respondeu que pode auxiliar no projeto. ”Para o desenvolvimento de ações do Sebrae/TO em prol do desenvolvimento de um município no segmento turístico o primeiro passo é a realização de um planejamento de ações de políticas públicas, de desenvolvimento e sustentabilidade da região que é realizada em parceria com as prefeituras, secretarias de turismo e a comunidade local.”

Interessados em visitar a comunidade dos Pilões, podem entrar em contato com Cristóvão Feitosa pelo telefone 9 8428-4109.

Fotos: Rafael Miranda

Comentários

Deixe um comentário

Palmas - Tocantins