Clique aqui e leia a versão digital
Nº 1267 ano 2017
Data:

Principal Bacia


Utilização de recursos hídricos do Rio Formoso volta a ser debatida

Poder Judiciário, Ministério Público, governo do Estado, Universidade Federal do Tocantins e produtores debaterão o projeto que visa gerir o melhor uso da água nas lavouras irrigadas por meio do confronto de dados entre disponibilidade e demanda.

Por: Divulgação
05/12/2017 11h:49min Atualizada em 05/12/2017 11h:49min
Foto: Divulgação
A audiência acontece nesta terça-feira (5).

A quarta audiência sobre a Gestão do Alto Nível dos Recursos Hídricos da Bacia do Rio Formoso é realizada, nesta terça-feira (5), no município de Lagoa da confusão. Dando continuidade ao processo de adequação do uso dos recursos hídricos na região, Poder Judiciário, Ministério Público, governo do Estado, Universidade Federal do Tocantins e produtores debaterão o projeto que visa gerir o melhor uso da água nas lavouras irrigadas por meio do confronto de dados entre disponibilidade e demanda.

De acordo com o juiz da comarca de Cristalândia, Wellington Magalhães, durante a audiência será feita uma prestação de contas do que já foi executado em busca de resultados concretos para o desenvolvimento sustentável da região. "A primeira fase do projeto contemplou levantar dados de disponibilidade hídrica e demonstrou as deficiência do sistema de monitoramento das águas. É preciso, e já estamos caminhando nesse sentido, investir em estações distribuídas ao longo de toda bacia que possam fornecer dados de nível e de vazão das águas.

A segunda fase contemplou levantar dados de demanda, o quanto de água se capta dos rios, e demonstrou a imperiosa necessidade de controlar o uso da água em tempo real. Essa quarta audiência pública acontece justamente para concluirmos essa fase", explicou o magistrado, destacando ainda os próximos passos do projeto. "As fases de diagnóstico da disponibilidade hídrica, da demanda e da instalação das estações telemétricas já se encontram praticamente finalizadas; ingressaremos em breve na quarta fase do projeto, que trata da revisão de todas as outorgas de uso d'água concedidas aos produtores daquela hidrografia”,  complementou.

Para o magistrado, as audiências são uma maneira de manter o diálogo aberto e construtivo entre os envolvidos. “Estado, produtores rurais, sociedade civil organizada, comunidades indígenas, todos precisam ser ouvidos, manter esse diálogo é o nosso grande primeiro desafio", concluiu.

Comentários

Deixe um comentário

Palmas - Tocantins